Menu Fechar

RECOMENDAÇÕES DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA O ESTUDO DAS DOENÇAS INFLAMATÓRIAS DO INTESTINO (DII) – IOIBD

Com base nas recomendações da Organização Internacional para o estudo das Doenças Inflamatórias do Intestino (DII) – IOIBD – e da Direcção Geral de Saúde de Portugal, segue-se um pequeno resumo do que se sabe e algumas recomendações para as pessoas com uma doença inflamatória do intestino:

 

O que são o coronavírus?

Os coronavírus são uma família de vírus que podem causar doenças desde a constipação comum a doenças mais graves. A nova cepa de coronavírus denominada SARSCoV2 foi detetada pela primeira vez em Wuhan, China, e causa a doença de coronavírus COVID19.

Como o coronavírus é transmitido?

O coronavírus é transmitido via gotículas respiratórias produzidas quando uma pessoa infetada espirra ou tosse e pode infetar pessoas em contacto próximo (no raio de cerca de um metro). Tocar em superfícies contaminadas antes de tocar nos olhos / nariz / boca também pode levar à infeção.

Quais os sinais e sintomas?

As pessoas infetadas podem apresentar sinais e sintomas de infeção respiratória aguda como febre, tosse e dificuldade respiratória.
Em casos mais graves pode levar a pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos e eventual morte.

Como o COVID19 se compara à gripe sazonal?

Ambas são doenças respiratórias infeciosas que apresentam sintomas como febre, tosse e falta de ar. Ambos podem levar a doenças graves, especialmente em pessoas idosas e com condições médicas anteriores. Uma diferença é que se pode ser vacinado contra a gripe, mas ainda não existe uma vacina disponível para o COVID19. Os estudos de fase 1 de uma possível vacina terão início nos próximos 2 meses, de acordo com os Centros de Controlo de Doenças dos EUA. As medidas de prevenção são comuns tanto para o COVID19 como para a gripe (ver abaixo “Como posso proteger-me”)

O que isso significa para pacientes com DII?

A DII é uma condição de um sistema imunológico hiperativo e geralmente é tratada com modificação ou supressão imune. Os pacientes com DII em uso de medicamentos imunossupressores são, em geral, mais suscetíveis à infeção. Especificamente, usar esteróides ou moduladores imunológicos como azatioprina ou 6-mercaptopurina ou metotrexato pode aumentar o risco de um paciente com DII de infeções virais. Até ao momento, não há pesquisas específicas sobre o IBD no COVID19.

Quais são as recomendações atuais para pacientes com DII relacionadas ao COVID19?

Muitos pacientes já perguntaram se deveriam interromper os seus medicamentos. Medicamentos como messalazina (nomes de marcas incluem Asacol, Apriso, Balsalazida, Lialda, Pentasa, Salofalk) são todos seguros. É sempre uma boa ideia deixar esteróides como prednisona / prednisilona, apenas se isso for possível e mediante indicação do médico assistente. As tiopurinas (6-mercaptopurina, azatioprina) e tofacitinibe tendem a inibir a resposta imune do corpo a infeções virais. As tiopurinas levam meses para deixar o corpo. Assim, interromper estes medicamentos não ajudará a curto prazo. Os produtos biológicos para tratar a DII, como anti-TNFs (Humira, Remicade, Simponi), ustekinumab (Stelara), vedolizumab (Entyvio) são seguros. No momento, não recomendamos a interrupção destes medicamentos. Além disso, o efeito destes medicamentos permanece no corpo, em muitos casos, por meses. Estas recomendações serão atualizadas à medida que haja mais dados disponíveis.

Necessito de usar máscara facial se estiver em público?

De acordo com a situação atual em Portugal, não está indicado o uso de máscara para proteção individual, exceto nas seguintes situações:
• Pessoas com sintomas de infeção respiratória (tosse ou espirro);
• Suspeitos de infeção por COVID-19;
• Pessoas que prestem cuidados a suspeitos de infeção por COVID-19.

Como posso proteger-me?

1. Evite estar em contacto próximo com pessoas doentes.
2. Lave as mãos com frequência. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes.
3. Evite tocar seu nariz, olhos e boca.
4. Tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o cotovelo, nunca com as mãos; deitar sempre o lenço de papel no lixo);
4. Procure atendimento médico em caso de febre, tosse ou dificuldade em respirar.

Links úteis:

Direcção Geral de Saúde
Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças
Organização Mundial de Saúde